Na manhã desta sexta-feira (20/10), um adolescente matou a tiros dois estudantes no Colégio Goyases, escola particular de ensino infantil e fundamental, em Goiania. O suspeito pelos disparos é um adolescente de 14 anos, estudante do 8º ano, é filho de policiais militares e usou a arma da corporação para o ataque, informou o porta-voz da Polícia Militar, coronel Marcelo Granja.

De acordo com o G1, duas vitimas morreram na hora dentro da escola e mais quatro ficaram feridos.

O tiroteio aconteceu por volta do meio-dia. E segundo alunos entrevistados, o suspeito sofria bullying na escola, e já havia ameaçado matar alguns colegas.

Ele sofria bullying, o pessoal chamava ele de fedorento, pois não usa desodorante. No intervalo da aula, ele sacou a arma da mochila e começou a atirar. Ele não escolheu alvo. Aí todo mundo saiu correndo”, contou ao G1 um estudante de 15 anos.

De acordo com a PM, assim que o atirador descarregou o cartucho, ele tentou recarregar a arma. Porém, o estudante foi contido por um professor e colegas.

Ele lia livros satânicos, falava que ia matar alguns dos colegas. Um dos garotos que foi morto falava que ele fedia e chegou a levar um desodorante para sala“, contou outra colega em entrevista ao G1.

O pai do adolescente deve prestar esclarecimentos à corregedoria da Polícia Militar sobre como o filho teve acesso à arma.