O investimento em educação tem tido cada vez mais destaque no Brasil, inclusive em relação aos intercâmbios. Só em 2018 o mercado brasileiro de educação internacional cresceu 20,46%, segundo a Belta (Brazilian Educational & Language Travel Association), somando cerca de 365 mil brasileiros embarcando para outro país para fazer intercâmbio. Em 2017, esse número era de apenas 302 mil.

De acordo com a pesquisa da Belta, 84,7% dos intercambistas tiveram como resultado final, após concluir o programa de intercâmbio um aperfeiçoamento do idioma, seguido de conviver com outra cultura e, por fim, ter se conhecido melhor. Além de proporcionar novas experiências culturais e com outro idioma, o intercâmbio abre uma boa margem para conquistar novos trabalhos e agregar mais valor aos estudos.

No entanto, atentar-se a alguns pontos principais e necessários contribui para um bom planejamento da viagem. Por isso, reunimos abaixo algumas dicas essenciais para quem pretende fazer intercâmbio ainda neste ano.

Planejamento financeiro

Antes de decidir, de fato, realizar um intercâmbio, é recomendado definir um valor viável para gastar com as despesas da viagem. Ao definir a data de partida, acompanhe sites de viagens para buscar passagens aéreas em promoção.

Ao fazer o cálculo dos gastos, lembre-se de incluir um valor a mais para possíveis imprevistos. Priorize os estudos e evite gastos supérfluos.

Pesquise muito sobre o destino

Conhecer bem o país de destino é essencial para ter uma boa vivência no local. Ainda de acordo com a Belta, 34,9% dos intercambistas viajaram para locais que amigos já foram. Ao ter uma opinião conhecida, é possível ter mais confiança para viajar, mas não deixe de pesquisar bastante sobre o país, a cidade em que você ficará, qual é a moeda local, a cultura e os costumes.

Priorize um bom seguro-saúde/viagem

Diferentemente de uma viagem comum, o tempo fora de casa em um intercâmbio é muito maior. Por isso, é extremamente essencial ter um seguro-viagem, já que imprevistos podem acontecer, inclusive com a saúde. Além do mais, existem países que não permitem a entrada de estudantes sem seguro.

Não se esqueça dos documentos

Pode parecer que não, mas, na emoção de montar as malas, os documentos podem acabar sendo esquecidos ou, então, sendo colocados na mala despachada. Por isso, verifique se o documento de identidade, passaporte e informações sobre hospedagens estão separados e guardados na sua mala de mão ou mochila.